14 de abr de 2012

Coleção Obsessiva 7: O Mal Nunca Morre


16 anos mais ou menos haviam se passado desde os últimos acontecimentos, Laura já era uma adolescente esperta e teve uma criação fantástica ao lado de David e Jéssica, estes por sua vez sempre se preocuparam com a existência de Luíza e tinham muito medo de que ela pudesse voltar para se vingar.
Certo dia, numa sexta-feira, resolveram viajar para a casa de praia deles e comemorar apenas entre eles o aniversário de Laura, ela levou seu namorado Guilherme e sua melhor amiga Nayara juntos para que passassem o fim de semana em alto estilo. Chegando lá encontraram o velho caseiro Joaquim e sua mulher Íris no portão, estes lhes deram boas vindas e diziam estar com saudades, pois fazia quase dois anos que não apareciam por la. Jéssica e David gostavam muito dos dois e sempre os considerou como família, tudo parecia ser um fim de semana perfeito, com exceção do que estaria por vir.
Já era noite quando Laura saiu com seu namorado para ir passear pela praia, foram para um canto mais escuro e começaram a dar uns amassos, porém Laura não deixou que aquilo fosse além, pois ela era virgem e se preservava. Guilherme parecia entender, disse que esperaria o momento certo, continuaram se beijando, porém Laura percebeu que alguém os observava ao longe, Laura deu um grito e perguntou o que a pessoa queria, a mulher então se virou e foi embora, a garota assustada resolveu ir embora e dormir pois amanhã seria o grande dia, o seu aniversário de 17 anos, Guilherme a deixou em seu quarto e foi para o que foi designado a ele.
Todos pareciam estar dormindo, a casa em profundo silêncio, Guilherme então foi até o quarto de Nayara, os dois saíram de lá e foram até o local em que ele estava com Laura e começaram um amasso incrível, ao contrário da sua amiga, Nayara deixou com que o cara fosse além daquilo, transaram a noite toda como loucos. O dia estava amanhecendo e precisavam voltar para que ninguém sentisse falta dos dois, a garota disse que ficaria ali mais um pouco para que não os vissem junto, pois ela dizia apreciar muito a amizade de Laura, o que claramente parecia ser por interesse. Guilherme concordou e se foi.
Passados alguns minutos, Nayara escutou uns barulhos vindos de cima da rocha onde teriam ficado, foi quando o corpo de um rapaz caiu à sua frente todo ensaguentado e sem a sua cabeça, a garota ficou em choque por alguns segundos, quando resolveu correr uma mulher a derrubou, sem dar tempo de olhar quem era, a garota levou uma machadada na cabeça, indo instantaneamente a morte.
Já se passava das 10 horas da manhã, Jéssica foi até o quarto da filha para acordá-la, porém a garota não se encontrava lá. A mulher pensou que ela poderia ter saído com o namorado e foi atrás até a praia a fim de encontrá-los.
Bateram no portão da casa, Joaquim foi atender e para seu espanto a mulher que ali estava à sua frente era totalmente parecida com Laura, se fosse uns 30 anos mais nova seria idêntica à garota, o caseiro perguntou o que a mulher queria, esta apenas lhe mostrou um sorriso e deu várias facadas no estômago do caseiro, até este cair morto ao chão. A mulher não perdeu tempo e adentrou a residência, ela começou a checar quarto por quarto, até que chegou aonde David estava dormindo, ela chegou devagar, deu um beijo na boca dele, quando este abriu os olhos não pode acreditar no que via, era Luíza, ela estava intacta, o tempo modificou muito pouco de sua aparência, rindo como uma louca começou a esfaquear David, este ainda lutou, caiu da cama gritando e rastejando em direção a porta, Luíza rindo histericamente e dizendo que sua vingança demorou mas que estava realizada, sentou-se por cima das costas do homem e passou a faca sobre a sua garganta, assistiu-o sangrar friamente até a morte. Íris havia escutado os gritos de David e foi lá para ver o que tinha acontecido, chegando lá viu uma imagem terrível, seu patrão caído em seu próprio sangue, quando se virou para correr deu de cara com Luíza, esta rapidamente passou a faca pela garganta da mulher, Íris começou a correr sufocada pelo próprio sangue que esguichava como uma fonte do seu pescoço.
Enquanto isso, Jéssica procurava por Laura, quando a encontrou chorando em um canto, a mulher perguntou o que havia ocorrido e a garota mostrou a ela a cabeça de Guilherme junto ao corpo de Nayara, uma imagem horrível e indescritível. Jéssica mal pode se recuperar do choque quando viu ao longe Íris correndo quase sem forças e levando um rasto de sangue junto dela, quando ela caiu em meio a areia da praia. A mulher pediu que Laura mantesse a calma e se escondesse, pois algo estranho parecia estar acontecendo, Jéssica foi caminhando desconfiada até o corpo da mulher do caseiro, quando estava quase perto escutou os gritos de Laura, ela rapidamente correu atrás da garota que ela amava como uma filha, quando chegou ao local escutou Luíza conversando com a garota contando a ela que era sua verdadeira mãe, que todos mentiram pra ela todo esse tempo, foi quando Jéssica atacou Luíza pelas costas e começaram uma luta extraordinária, Laura então correu, deixando as duas ali. Em meio à briga Luíza acertou uma facada em cheio em Jéssica, que caiu, a mulher já sorridente por se sentir satisfeita com sua vingança estava prestes a dar outra facada quando Laura chamou sua atenção, a garota estava com as duas mãos voltadas para as costas como se estivesse escondendo algo, pediu para que ela parasse, Luíza então respondeu: "_Não posso, eles tiraram você de mim, essa é a minha vingan..." Mal pode terminar de falar e levou uma pedrada em cheio na cabeça e caiu pra frente desmaiada, Jéssica caiu novamente com muita dor mas com um ar melhor por ter protegido a garota que ela criou com tanto carinho. Laura aproximou-se de Jéssica, sorriu e disse que a amava, que ela era a melhor mãe do mundo, então ela revelou o que tinha nas mãos, era um machado que parecia conter sangue e parecia já ter sido usado para algum assassinato, a garota riu histericamente, o que de forma assustadora lembrava muito a forma de agir de Luíza, a mesma Luíza que levantou meio tonta, olhou para a garota e disse: "_Faça, você não pode negar o sangue ruim que corre em suas veias, hahaha." Laura rindo sem parar levantou o machado e arrancou a cabeça de Luíza com um golpe certeiro, a garota parecia muito aliviada e satisfeita com aquilo, Jéssica em meio a todo aquele caos, desmaiou, acordou mais tarde no hospital com Laura ao seu lado, ela disse a garota que tinha tido um sonho terrível e que finalmente havia acordado, Laura contou com detalhes tudo o que havia ocorrido, dizendo que Luíza havia matado a todos, mas que Jéssica heroicamente havia salvado sua vida.
Jéssica e Laura estavam a caminho de casa, ambas tinham uma a outra de agora em diante, o único alívio de Jéssica era saber que a ameaça de Luíza já não existia mais em seu meio. Quando chegaram Laura deixou sua mãe cuidadosamente no quarto dela e disse que o que precisasse ela poderia chamá-la, Jéssica agradeceu o carinho da filha. Laura então caminhou até o porão, no interior do mesmo dava para se ver a cabeça de Guilherme, Nayara e de todos os outros mais que estavam na casa de praia aquele dia, e num canto do quarto, morta e presa em uma cadeira, com um sorriso costurado no rosto, estava Luíza, imortalizando no coração de Laura o mal de seu sangue, um mal que nunca terá fim enquanto sua descendência existir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.